Sinal de alerta!!! Vazamento!!

29/10/2014

E quando o preconceito nos atinge?!

Desde que iniciamos nosso blog, temos recebido muitas mensagens de apoio e incentivo. Essa energia positiva que recebemos nos permite manter a chama acesa, nos permite seguir adiante e sentir que, de alguma forma, estamos conseguindo nos conectar com as pessoas. Nos momentos de dificuldade, então, as palavras de incentivo nos permitem, cada vez mais, nos mantermos firmes e enfrentarmos com mais serenidade quando recebemos um retorno negativo.

Algumas pessoas olham torto, pensam: “que irresponsabilidade!”, “que loucura!”, “estão querendo viver a adolescência?!”, “no mundo adulto é preciso assumir responsabilidades!”.

Primeiro, esclarecendo, não estamos fugindo da responsabilidade, muito menos, de viver a vida de “forma adulta” (seja lá o que isso quer dizer). É preciso muita responsabilidade, sanidade, maturidade para arriscar. Você precisa confiar muito no seu “taco” para ter a certeza de que qualquer problema é superável, qualquer dificuldade é administrável e…emprego…a gente consegue outro, se precisar.

Mas, em segundo lugar, chamo para o questionamento: quem disse que a vida TEM que ser vivida nessa busca desenfreada pelo ter e pelo status? Quem disse que aos 34 anos de idade é muito tarde para sonhar? Quem disse que por eu ter um filho não posso tentar uma alternativa de vida? Pelo menos tentar uma vida que me permita ser um exemplo mais coerente e são para meu filho?!

Significado de sucesso para a sociedade, para a maioria das pessoas é, já na minha idade: ser casada com um homem decente (sim, o cara tem que ter um bom CV de vida, ser sério, comprometido, homem, sabe, com H maiúsculo?!, aquele “clichezão” mesmo), ser mãe (de preferência de um menino e uma menina que tenham idades próximas, que sejam lindos, comportados e que durmam a noite toda), ter casa própria (ou estar atrelada a um financiamento), ter um bom emprego (com estabilidade, mas, não serve qualquer um…tem que ser algo que socialmente seja bem cotado) ter um bom carro, fazer uma viagem internacional (de preferência para Estados Unidos ou Europa…Guatemala nem pensar) e, o que mais???? Alguém tem algo mais??? Ah, sim, no meu caso, por muitos anos, foi ter cabelo liso. Cheguei a ser vítima de bullying pelos meus cabelos crespos… Mas, parece que cabelos crespos, ultimamente, estão em alta… então, está tudo bem agora! 😉 E assim por diante… É impressionante como a sociedade em cada esquina da vida está ali a postos para te pressionar, avaliar, comentar e, sempre sob a ótica mais discriminadora e deturpada possível.

Parece que se um de nós sair do sistema, uma luz vermelha, um sinal de alerta é acionado… ”há um vazamento, precisamos impedir antes que todos fujam, enxerguem a vida com outros olhos e consigam ser felizes”. Já pensou se as pessoas realmente forem em busca de sua felicidade? Meu deus, que caos!!!! Teremos o apocalipse, sem sombra de dúvidas.

Mas, a bem da verdade é que cada vez mais, mais e mais pessoas têm mencionado que o sistema de vida vigente não lhes satisfaz.

Não precisamos somente de uma reforma política, precisamos estabelecer uma nova forma de viver, de fazer a máquina funcionar, colocando as pessoas acima do sistema.

Assim, como na época dos colonizadores, em que as pessoas pegavam navios e saíam desbravando o mundo à procura de novos horizontes, nós, Bruno e eu, estamos de nossa forma, tentando buscar novos horizontes. Viajar para outro país ajuda a conseguir vislumbrar novos horizontes, desintoxicar do sistema, mas, não é obrigatório. Afinal, o novo horizonte que estamos buscando não é físico. Queremos encontrar uma forma de vida que nos permita ter mais qualidade, que nos permita apreciar a vida, viver a vida sem ser vivida por ela.

Afinal, temos tantos instrumentos hoje disponíveis (internet, Skype, telefone celular, whatsap, etc) por que precisamos continuar vivendo um sistema de trabalho ultrapassado?!

Portanto, não deixem de buscar, de refletir vocês também! A mudança somente ocorre quando as pessoas passam a demandar, exigir algo diferente. Avalie de que forma você pode começar a fazer mudanças em sua vida. Não pode largar o emprego? Não tem problema, você pode começar a ir de bicicleta para o trabalho. Veja se você não tem como negociar um home office, demande do sistema algo novo…juntos, aos poucos, podemos voltar a ser protagonistas de nossas vidas.

Ah e para quem olha torto e emite um juízo… é só esperar, quando a gente for maioria, eles vão decidir se juntar e colher os louros de nossa luta. É sempre assim! Depois da dificuldade, os “amigos” sempre aparecem para dar um abraço e tirar uma foto! 😉

Melissa

You Might Also Like

4 Comments

  • Reply Camila Vargas 04/11/2014 at 00:25

    Concordo plenamente com você Mel!
    É preciso muita coragem e responsabilidade pra “se libertar do sistema”. Quando eu abri mão de tudo pra vir, foi um draaaaama. E foi um drama alheio hehehehe!
    Mas é engraçado como, pelo menos pra mim, foi fácil sair dele, mas foi um pouco mais difícil pra ele sair de mim. Conversava dia desses com um amigo sobre culpa e como somos programados desde sempre para sentirmos umas culpas que não nos pertencem. Senti um pouco de culpa logo após a minha vinda pra cá, e questionei minha decisão algumas vezes depois. E olha que foi uma decisão bem pensada e não rola nenhum arrependimento! Mas por fim entendi que eram apenas resquícios desses conceitos que são empurrados pra gente desde cedo e fui desfazendo as minhas amarras…
    Bom, só sei que espero mesmo que as pessoas “enxerguem a vida com outros olhos e consigam ser felizes”.

    • Reply admin 04/11/2014 at 18:12

      Querida Camila, AMEI o seu comentário. Interessante que agora estamos longe fisicamente mas mais perto em termos de vida, você não acha?! Vivendo coisas parecidas, buscando novos caminhos! Acho isso muito legal!!! Gostei também do seu comentário: “Mas é engraçado como, pelo menos pra mim, foi fácil sair dele, mas foi um pouco mais difícil pra ele sair de mim”. Em alguns momentos fico imaginando como vou me sentir quando não estiver mais no emprego fixo…com certeza escreverei sobre isso e trocarei figurinhas com você! É realmente impressionante como somos programados a nos culpar o tempo todo, com o Bruno conversamos bastante sobre isso e tentamos aos poucos ir nos soltando, mas, não adianta, cada etapa traz novos sentimentos e desafios e o processo de digerir a culpa é meio que constante. 😉

  • Reply Gilmar Tavares 30/10/2014 at 16:50

    “Nenhum pessimista jamais descobriu o segredo das estrelas, nem velejou a uma terra inexplorada, nem abriu um novo céu para o espírito humano.” Helen Keller.

    “Cada lugar é o mundo a sua maneira.” Mílton Santos.

    A PEDRA
    O distraído nela tropeçou…
    O bruto a usou como projétil.
    O empreendedor, usando-a, construiu.
    O camponês, cansado da lida, dela fez assento.
    Para meninos, foi brinquedo.
    Drummond a poetizou.
    Já, David matou Golias, e Michelangelo extraiu-lhe a mais bela escultura…
    E em todos esses casos, a diferença não esteve na pedra, mas no homem!
    Não existe “pedra” no seu caminho que você não possa aproveitá-la para o seu próprio crescimento.

    • Reply admin 04/11/2014 at 18:19

      Professor, suas citações são sempre inspiradoras! Que bom que o senhor está por aqui nos acompanhando! Forte abraço!!

    Leave a Reply