Descubra o que sua imperfeição pode fazer por voce

29/04/2015

Já deixou de fazer algo porque não se sentia bom o suficiente? Não se sentia totalmente preparado? Quem sabe, tentar uma oportunidade de emprego, ter um filho, um projeto pessoal qualquer, até um bilhetinho de amor…? Já se viu esperando “uma oportunidade mais propícia” para dar um passo importante em direção a algo que você deseja?

É bastante comum querermos que todas as variáveis que envolvem nossos planos pessoais estejam praticamente perfeitas antes de tomar qualquer ação concreta. Mais comum do que deveria. Quem não tem um desejo profundo em seu íntimo e está só aguardando uma “melhor oportunidade”, “torcendo para ganhar um aumento de salário”, “ esperando os filhos crescerem” etc etc etc?

Já parou para pensar que tudo isso não passa de desculpa para não se expor e não sair da zona de conforto?Quando temos que tomar uma decisão, sempre pensamos mais no que pode dar errado, do que nas consequências positivas do acerto. É, ou não é? Então, na hora de arriscar, de tomar uma decisão de vida mais ousada, qual será nossa tendência natural? Fugir dos erros e de suas consequências, óbvio. Geralmente, só damos aquele passo decisivo quando temos segurança suficiente de que todas as variáveis estão na condição ideal. Ou seja: praticamente nunca!

O medo de errar aprisiona nossas ideias e, sobretudo, aprisiona nossas ações.

Mas, e se mudarmos a perspeciva? E se passássemos a aceitar o imperfeito, em nós e nos outros? Se passarmos a ver com naturalidade nossas ações imperfeitas, com ideias imperfeitas, projetos imperfeitos e consequências imperfeitas. E se um erro for somente um passo intermediário até o acerto? Imagine todo o mundo tirando seu projetos imperfeitos da gaveta e explorando a vida. Seria um mundo melhor ou pior?

Pense em alguém de sucesso. Pense num projeto exitoso. Qualquer um. Antes deles, vieram os erros, e, por trás, a disposição de correr o risco, de aceitar o imperfeito e suas consequências. Ademais, imagine o pior dos casos: se não der certo. Será que não terá nada de positivo? Será que não vale a pena acrescentar páginas interessantes ao livro de sua vida? Isso é borbulhante.

Nós simplesmente nos enganamos ao pensar que estaremos mais preparados no futuro, mais experientes, que teremos melhores condições etc. No fundo, não queremos sair da zona de conforto e nos expor para o mundo. O mais errado que podemos fazer é não fazer nada com nossos planos e desejos. Podemos “sufocá-los” temporariamente, mas, de uma forma ou de outra eles ficarão ecoando lá dentro…

O bom ou o ruim, o certo ou o errado, o perfeito e o imperfeito, na maioria das vezes, são apenas opiniões. Quando nos permitimos vivenciar a imperfeição, avançamos, damos um passo adiante, saímos da inércia, deixamos pegadas, acrescentamos vida aos nossos dias. Abrimos portas a novas experiências, e novas pessoas. Algo mágico acontece. Depois, olhamos para trás e pensamos: “- como pude hesitar tanto? Como pude esperar tanto por fazer algo que me faz tão bem?”. Como num processo catálitico, a partir desse momento, tudo se transforma. E, com um olhar imperfeito conseguimos perceber a beleza perfeita da imperfeição! Pronto, virei poeta! (risos)

Portanto, da próxima vez que estiver diante de uma decisão difícil, entre o “fazer” e o “não fazer”, escolha a imperfeição e aproveite a vida!

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply